Pesquisar

16 de junho de 2010

Elaine Costa

Como profissionais e seres humanos, devemos atentar para os problemas sociais, priorizando desenvolver políticas públicas que amenize o sofrimento desses humanos que são vítimas da miséria e dos descasos sociais. Dando-lhes oportunidade de igualdade, para que as famílias tenham condições de sustentar os seus filhos dando-lhes uma vida digna e humana.
Psicologia & Sociedade Psicol. Soc. v.20 n.1 Porto Alegre jan./abr. 2008

Crítica Pessoal
Uma questão sempre colocada pela sociedade civil é
o por quê de tanta criança e adolescente em situação de
risco nas ruas. “Nossas políticas públicas
não estão atingindo as nossas periferias e mesmo as
que atingem não estão correspondendo às necessidades
das famílias de baixa renda. Quando essas políticas não
chegam a famílias , a tendência é a ‘migração’
de crianças e adolescentes, que fogem de famílias
desestruturadas, maus tratos e fome para o Centro das Cidades

ELAINE COSTA

3 comentários:

fab disse...

TRANSEXUALIDADE

De acordo com os direitos humanos, o livre arbítrio e o desenvolvimento da tecnologia e da medicina, os seres humanos acabam por decidir se querem ou não mudar a condição do gênero estabelecida pela vida (Deus). Em busca da felicidade e realização pessoal, esta modificação de sexo é válida e deve ser respeitada por todos, apesar da aberração. Acaba sendo uma atitude discriminada, pela ignorância e preconceito, mesmo por que não existe um esclarecimento ou uma campanha relacionado a este tema pelos órgãos competentes. No entanto, ao longo dos anos esta classe vem ganhando muito mais espaço e respeito, pois não há como evitar ou esconder tais transformações. Cada um deve ser feliz independente de qualquer coisa, sem interferir no direito do outro.


Pessoa com Deficiência esse novo termo é importantíssimo para começa a mudar a visão que temos sobre essa pessoas.

Ainda hoje milhares de pessoas com deficiências são discriminadas, sendo excluídas do mercado de trabalho ou discriminadas nas comunidades. Mas, ainda assim, este tema, que eram antes subvalorizados estão sendo trazidos para os centros de discussões e sendo abordado com mais frequência. Sejam em propagandas, novelas, campanhas, ações entre educadores ou conferências mundias, como a Conferência Mundial de Educação Especial realizada em 1994. Também estão sendo criadas leis em defesa destas pessoas. No entanto, o mais importante é criar programas de inclusão social, o que ainda deixa a desejar e não existem métodos muito claros. Muitas vezes esta inclusão acontece por compaixão e este não é o motivo mais adequado a este processo. Esta inclusão constrói uma nova era, onde os deficientes são vistos sobre um novo ponto de vista. E o mais importante de tudo é procurar tratar cada tipo de deficiência com os cuidados adequados.

fab disse...

Fabricia e Lenine

O Vasco em ação foi um grande evento e espero participar mais vezes. Debate temas com esses são importatissímo para toda a sociedade e é importante lembra que acesso é diferente de acessibilidade que nos é permitida.
Valeu discente e docentes da Faculdade Vasco da Gama.No próximo ano tem mais.

fab disse...

Fabricia e Lenine

Meninas,

Serge Moscovici psicologo social, trás grande contribuições para nós assistentes sociais a respeito do olhar que temos que ter diante do nosso usuário, através de sua Teoria das representações sociais. Pois temos que saber a identidade social do nosso usuário.