Pesquisar

8 de abril de 2010

Muito bem meninas...

Estou vendo que temos a cada dia novos seguidor@s.
Sejam bem - vindas!!!!!!!!
Não esqueçam de compartilhar o que aprendemos em sala sobre Psicologia Social.


A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.

Albert Einstein

2 comentários:

Adejaira disse...

Adejaira Santana e Ednice Sousa

Resumo

DAVIDOFF, Linda L. Introdução à Psicologia. São Paulo: Mcgran-hill do Brasil, 1983.

O comportamento social em grupo acontece quando as pessoas se reúnem, sejam em família, com amigos, na Igreja, no trabalho ou no meio social, esses grupos possuem normas e padrões que são estabelecidos pelos membros ou líder. Os seres humanos não conseguem viver sem normas, pois, quando isso acontece, eles logo criam suas próprias normas. Por já serem inseridos em padrões e normas torna-se um sacrifício para os seres humanos adaptar-se a novas normas. Muitas vezes difíceis de aceitar, sendo através de pressões que essas normas são respeitadas e cumpridas, impostas pelo líder ou membros do grupo. A pressão dentro do grupo gera conformidade e obediência, a conformidade é a mudança de comportamento ou atitude que acontece quando há uma pressão do grupo, ou seja, muitas vezes não concordando com o grupo a pessoa pode não ser aceita, por isso, muitas vezes a pessoa não concorda, mas aceita para ser inserido no grupo. A conformidade é boa ou má dependendo da necessidade do grupo, do contexto histórico. Quando falamos em obediência pensamos em conformidade, pois, quando obedecemos deixamos para trás nossos juízos pessoas, nossos valores e crenças. Significa abrir mão de algo em que acreditamos, é uma forma de mudar nossas idéias. Com ou sem aceitação, toda obediência implica numa mudança pessoal.

Frase para reflexão:
“Seja você a mudança que deseja fazer no mundo”
Mahatma Gandhi

cris paula disse...

De Cristina Paula e Eugênia Pereira

Participamos do evento cuja finalidade foi homenagear os Assistentes Sociais pela passagem do seu dia e lançar a “Campanha Serviço Social nas Escolas Já”, que pretende contribuir com o processo de discussão dos Projetos de Indicação nº 108 e 109/2009, que tratam da presença do Serviço Social nas Escolas. O Seminário foi realizado no dia 08/05/2010, das 08hs às 13hs, no Centro Cultural da Câmara Municipal de Salvador, com a participação de 550 pessoas, entre estudantes e profissionais de Serviço Social de 14 faculdades de Salvador. Participaram do Seminário o CMDCA - Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente; CEDECA - Centro de Defesa da Criança e do Adolescente; Ministério Público - Promotoria da Infância e Juventude; CRESS - Conselho Regional de Serviço Social da Bahia; CMASS - Conselho Municipal de Assistência Social de Salvador.
A criação do projeto partiu de uma reivindicação da categoria de Assistentes Sociais, em consideração a atual conjuntura do setor educacional e a importância do trabalho do Assistente Social no âmbito educativo. Segundo a Assistente Social Liane Monteiro (Comissão de Educação do CRESS-Ba), o serviço social nas escolas públicas vai assegurar que sejam avaliadas, elaboradas e executadas ações preventivas e de enfrentamento às situações emergentes que expressam violência, dificuldades interpessoais entre alunos, familiares e funcionários da escola, além das de ordem sócio-econômica que afetem os estudantes, com foco nas políticas sociais. Com uma proposta sócio-educativa pautada na defesa de uma política educacional, efetivação e ampliação da concepção do processo pedagógico e trabalho coletivo visando levar o conhecimento dos deveres e direitos das pessoas e comunidade, assim como os meios de acessá-los através das Políticas Públicas, contribuindo para a educação e formação do indivíduo. O Assistente Social terá um papel articulador nas escolas, diminuindo as desigualdades e combatendo a evasão escolar e além de avaliar a família do aluno através de visitas domiciliares, vai analisar e diagnosticar as causas, com o propósito de atuar preventivamente no baixo rendimento escolar, descaso pelo aprendizado, problemas disciplinares, insubordinação, o uso de drogas e o alcoolismo, esclarecimento sobre doenças infectocontagiosas dentre outros referentes à saúde pública e principalmente, atitudes e comportamentos agressivos e violentos.
O Serviço Social centraliza seu foco na família, reconhecida como base da sociedade, a qual assume atualmente um novo modelo diante das transformações, onde os papéis são indefinidos, permeados por conflitos, contradições e tensões. Do ponto de vista da nova Psicologia Social, o homem aprende a ser homem nas relações com os demais, se apropriando da realidade exercida por gerações anteriores. Portanto, a nova conjuntura demanda uma maior atenção para o setor educacional voltada para a inserção do Assistente Social na escola, para que este profissional contribua de forma significativa com a construção do mundo interno do indivíduo na medida em que ele possa transformar seu mundo externo, a partir de relações sociais saudáveis e criar condições para o efetivo exercício da cidadania e para a inclusão social das crianças e adolescentes. O Serviço Social Escolar será vinculado a um sistema de proteção social amplo, juntamente com outros benefícios e serviços assistenciais direcionados aos pais e alunos na esfera educacional, e com as demais políticas sociais, instituições privadas e organizações comunitárias locais.

Cristina Paula e Eugênia Pereira – 15/05/10